Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
PUBLICIDADE
Pepsico e DHL são as primeiras grandes empresas a receberem caminhão urbano 100% elétrico da JAC Motors
27/01/2021 09:39 em Mercado

Apresentado oficialmente ao mercado brasileiro em setembro de 2020, o caminhão urbano 100% elétrico da JAC Motors, batizado de iEV1200T e com peso bruto total de 7,5 toneladas, começa a ganhar as ruas. Dentre os principais clientes que efetuaram suas encomendas nos últimos meses, duas companhias tiveram a primazia de receber suas unidades: a PepsiCo, gigante norte-americana do setor alimentício, e a DHL, líder mundial em logística.  
As primeiras 10 unidades do JAC iEV1200T foram entregues à PepsiCo para iniciar numa missão diferenciada: eles servirão de laboratório para as entregas urbanas da companhia na cidade de São Paulo. Fortemente preocupada com redução de emissão de CO2 em suas operações, a PepsiCo não descarta a substituição gradativa de toda a sua frota urbana de caminhões leves, enfatizando o modelo 100% elétrico da JAC como melhor alternativa encontrada para essa “limpeza” em sua logística de entregas.
“Numa conta rápida, um caminhão movido a diesel emite 500g de CO2 por km rodado, o que se transforma em 20 toneladas de CO2 ao ano por percorrer 40.000 km. Ou 100 ton de CO2 em 5 anos. O JAC iEV1200T? Zero. Ao longo de 30 anos, que é a vida útil média dos caminhões no Brasil, cada caminhão tradicional vendido no mercado brasileiro emitirá 600 ton de CO2. O JAC iEV1200T? Zero”, explica Sergio Habib, presidente do Grupo SHC e da JAC Motors Brasil.
O caminhão urbano 100% elétrico da JAC Motors desponta como a melhor solução para empresas que queiram investir objetivamente na sustentabilidade de suas operações: ele será vital para reduzir a média de emissão de CO2 das frotas de veículos comerciais. Possui baixíssimo custo operacional e ampla versatilidade para ser empregado em diversas aplicações, com 200 km de autonomia, obtidos por intermédio de baterias de fosfato de ferro-lítio com 97 kWh de carga máxima. O JAC iEV1200T possui 177 cv de potência e 1200 Nm (122,4 kgfm) de torque, o que garante agilidade no trânsito urbano e facilidade de manuseio (não tem câmbio), perfazendo um custo por km rodado cinco vezes menor que um caminhão movido a diesel equivalente.
Equipado com sistema de ação regenerativa chamado i-Pedal, o sistema de propulsão do JAC iEV1200T aproveita as desacelerações e recarrega as baterias – o motor deixa de consumir energia e se torna momentaneamente um “gerador”. Resultado: se o motorista for cuidadoso nas acelerações e não usar o ar-condicionado, o iEV1200T entregará uma autonomia superior aos 250 km.
Rodando nessas circunstâncias, ele vai propiciar uma impensável economia no custo por km rodado. Como o preço médio do kWh é de R$ 0,55 nos mais diversos Estados brasileiros, o iEV1200T gasta R$ 0,26 por km rodado, o que transforma o caminhão 100% elétrico da JAC no veículo de transporte urbano de carga com o menor custo de operação de todo o mercado brasileiro. Ele é 5 vezes mais barato que os similares movidos a diesel.
Além disso, a ausência de diversos componentes necessários no plano de manutenção de veículos movidos a diesel reduz absurdamente as despesas no pós-venda. “Ele é até 6 vezes mais barato”, destaca Habib, ressaltando que o iEV1200T não possui correias, bicos injetores, bomba de injeção, bomba d´agua, filtros, óleo de motor, embreagem, radiador, catalisador, aditivos à base de ureia etc.
Outra companhia que tem franqueado iniciativa para melhorar o meio ambiente nas grandes cidades é a DHL, de origem alemã. Trata-se da maior empresa de logística do mundo, e que acaba de receber 1 unidade do JAC iEV1200T para testes. Cada vez mais consciente de que precisa investir na sustentabilidade em toda a sua cadeia, a gigante não descarta a compra de novas unidades após a análise de performance e custo operacional do modelo da JAC Motors, de olho no desejo de seus clientes de diminuírem a emissão de CO2 na sua cadeia de logística, que se traduz em uma necessidade mundial com uma pressão cada vez maior de governos, consumidores e acionistas.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!