Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Publicidade
Desenvolvimento de lubrificantes não para, apesar da pandemia
18/10/2021 10:05 em Mercado

 

A constatação é inquestionável. Por conta da pandemia por Convid-19 e, por consequência, do isolamento social e da realidade do home office, registrou-se o uso menos frequente de transportes individual e público. Mas a cadeia automobilística não parou de lançar novos produtos, novas motorizações e, de outra parte,  o setor de equipamentos off-road manteve ritmo normal de crescimento. Também a indústria de lubrificantes, aditivos e fluidos não parou de desenvolver novas tecnologias.
É nesse cenário que acontece a 14ª edição do Simpósio Internacional de Lubrificantes, Aditivos e Fluidos, em dois dias de evento online – 27 e 28 deste mês –, organizada e promovida pela AEA - Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, que traz como tema central “A indústria de lubrificantes pós-pandemia”, por meio da qual pretende analisar o setor durante os 20 meses da pandemia e debater sobre o futuro.
No primeiro dia, 27/10, além da sessão de abertura a ser conduzida por Besaliel Botelho, presidente da AEA, e por Simone Hashizume, coordenadora do evento, o simpósio traz quatro palestras. “Mercado de lubrificantes pós-pandemia”, de Sergio Rabello, da Factor Kline, é o tema da palestra inaugural e que terá, como debatedores, Kleber Lins, da Vibra Energia; Paulo Gomes, da Iconic; e Rogerio Ludorf, da Petronas; com a medição de Sergio Viscardi, também coordenador do evento.
“Visão das tecnologias de propulsão no mercado brasileiro”, de Raquel Mizoe (General Motors), “Lubrificantes Dexos 1 geração 3”, de Rodolfo Ferreira (Afton Chemical) e “Tecnologia de aditivos para motocicletas”, de Marcus Vercelino, da Lubrizol compõem o quadro de palestras da segunda parte da manhã, cujo debate será conduzido por Everton Gonçalles, membro da Comissão Técnica de Lubrificantes da AEA.
No segundo dia, 28/10, a palestra de abertura será de responsabilidade de Ricardo Abreu, da Bright Consulting, sobre o tema “A importância dos combustíveis fósseis e renováveis na matriz energética brasileira”, seguida das apresentações “Equipamentos fora de estrada”, de Boris Sanchez (Volvo Constrution), “Máquinas agrícolas”, de André Rocha (Agco), “Lubrificantes para motores off-road”, de Jorge Manes (Infineum) e “Tecnologia de aditivos para tractor hydraulic fluid”, de Marcus Davi Rufino (Oronite), com a mediação de Roberta Teixeira (Iconic) no debate ao final das quatro palestras.

COMENTÁRIOS